Falando ao coração

Uau, depois de um texto com uma análise nua e crua da dinâmica social pela perspectiva darwinista na guerra política contra os esquerdistas, surge um post entitulado “Falando ao coração”?

Teria o editor deste blog enlouquecido de vez e amaciado o discurso? Tornou-se ele alguém emotivo? Será que leu o livro “O Segredo” e pirou na batatinha?

Nada disso.

O que quero falar aqui é de como temos que nos comunicar com a platéia desse duelo político.

Antes de tudo, vamos definir os lados.

Existem os esquerdistas, que querem aumentar o tamanho do estado, aumentar cada vez mais os impostos, dar moleza para os criminosos, tirar nossa liberdade e inserir uma retórica na sociedade na qual eles nos demonizam. Se tiverem sorte nessa demonização, poderão colher os frutos nos expurgando dessa existência na primeira oportunidade em que ocorrer uma crise de uma severidade similar àquela vista no prenúncio tanto da Primeira como da Segunda Guerra Mundial.

De outro lado, estamos nós, conservadores, que queremos diminuir o tamanho do estado, reduzir os impostos na medida do possível, punir severamente os criminosos, ter o máximo de liberdade quanto possível e, é claro, desmascarar todas as mentiras que os esquerdistas falam de nós.

E existe a opinião pública no meio, a grande massa que não se preocupa com as questões políticas, mas é AFETADA pelo discurso de cada um dos lados. Hoje, como quase não há conservadores na mídia, a esquerda está levando vantagem fortíssima, especialmente no Brasil, através da conquista do coração desse eleitorado.

É por isso que a cada dia surgem novas leis que atendem unicamente aos interesses da esquerda, e somente prejudicam a direita.

Do lado dos esquerdistas, estes utilizam a linguagem popular e conseguem dizer, dentro de 30 segundos, que “estão do lado do povo”. Enquanto isso, conservadores assistem passivamente e, no máximo, lançam discursos empolados e textos complicados nos quais, mesmo ao refutarem os esquerdistas, NÃO SÃO OUVIDOS pela opinião pública.

É fácil entender por que os conservadores não são ouvidos. No momento em que um conservador abrir a boca, a opinião pública já o tachou de “religioso fundamentalista”, “racista”, “fascista”, “homofóbico” e qualquer outro termo que faça com que ele não seja ouvido. Mesmo que quase sempre essa rotulagem não esteja de acordo com a realidade. A partir desse momento, já não adiantam mais argumentos do conservador, ele simplesmente NÃO SERÁ OUVIDO.

Isso ocorre por que o esquerdista domina a arte de FALAR AO CORAÇÃO da opinião pública, através do recurso de controle de frame. E, quando um esquerdista está fazendo isso, só controlamos o frame de volta se FALARMOS AO CORAÇÃO da platéia durante a refutação. (Atenção: existe o discurso entre os intelectuais de cada lado, onde falamos à MENTE, mas quando falamos à platéia, falamos algumas vezes à MENTE e em outras vezes ao CORAÇÃO)

E o que significa FALAR AO CORAÇÃO?

Simples. Significa falar em uma linguagem na qual você é entendido pelo cidadão comum, gerando efeitos EMOCIONAIS com essa comunicação. Ou seja, FALAR AO CORAÇÃO é usar uma comunicação que afeta o SISTEMA LÍMBICO PROFUNDO do ouvinte.

Vou dar 2 exemplos.

No caso, vou citar um amigo, gerente de projetos, que trabalha feito um condenado, mas foi sequestrado por 3 “menores” e passou 2 horas de terror na mão dos criminosos. Ele teve prejuízo de mais de 8 mil reais. Mas pior ainda foi o trauma psicológico, sofrendo ameaças de morte durante o curso do sequestro.

Seria uma fatalidade? Não. Há mais culpados nessa história do que os 3 bandidos. A quase totalidade dos esquerdistas é cúmplice moral deste crime. E de vários outros.

E foi assim minha conversa com ele:

  • SEQUESTRADO: Puxa, passei uma situação muito ruim.
  • LH: Imagino.
  • SEQUESTRADO: O pior é que os bandidos eram menores e já tinham passagem pela polícia.
  • LH: Então, é uma crueldade maior ainda você ter sido sequestrado. Isso NÃO PODIA ter acontecido.
  • SEQUESTRADO: É a vida…
  • LH: Não. Não é. NÃO É JUSTO um cidadão decente ser sequestrado por menores que JÁ FORAM presos uma vez.
  • SEQUESTRADO: Mas é a lei…
  • LH: Essa lei não existiria se os esquerdistas não tivessem sido ouvidos. A lei de impunidade ao menor só ocorre por eles. Veja uma lógica básica. Não há uma razão decente para eles proibirem a punição ao menor. O menor que comete um crime deveria estar preso. Mas ao estar livre por uma lei, ele está liberado para te sequestrar.
  • SEQUESTRADO: O que esse pessoal tem na cabeça?
  • LH: Na verdade, são iguais a fanáticos religiosos. Eles tem uma fantasia na cabeça de que “o homem é bom, a sociedade os corrompe”, e por isso desenvolvem coisas como ódio da polícia, tolerância ao criminoso. Daí ficam com truquezinhos como “vamos investir em educação, para não punir o adulto”, o que é um discurso nojento. Como eles precisam alimentar essa fantasia, torcem para criminosos não serem punidos. A criação de uma lei que dá liberdade a menores criminosos é uma consequência disso.
  • SEQUESTRADO: Eu não tinha pensado nisso. Não é que você tem razão?
  • LH: É uma lógica básica. Se os esquerdistas não fossem ouvidos, não haveria uma lei que proíbe a punição ao menor. Mas deram ouvidos a esses malucos, e por isso esses menores puderam te sequestrar.  O correto seria que eles tivessem na cadeia.
  • SEQUESTRADO: Mas como poderíamos prever que eles cometeriam o crime?
  • LH: Vamos lá. Sejamos justos. O esquerdista não pode adivinhar que um criminoso vai cometer o seu primeiro crime violento. E também não pode garantir que o bandido seja preso. Mas A PARTIR DO MOMENTO em que ele foi preso a primeira vez, e por um crime violento (e basta levantar uma arma em um assalto que já falamos de um crime inaceitavelmente violento), ele deveria ser trancafiado. Mas está solto, por que os esquerdistas o queriam solto. Logo, os esquerdistas são co-responsáveis por TODOS os próximos CRIMES RECORRENTES praticados por esse “menor”.
  • SEQUESTRADO: Isso me dá nojo…
  • LH: Eu me solidarizo com você. Cidadãos honestos não merecem ser vítimas de crimes violentos por causa de OPÇÃO dos esquerdistas.

O curioso é que na época os esquerdopatas mais radicais estavam invadindo a reitoria da USP. E cidadãos normais não conseguiam entender como em um momento em que pessoas eram vítimas de crimes, comunistas queriam QUE A POLÍCIA SAÍSSE do Campus da USP. Isso POTENCIALIZOU o efeito de minha mensagem.

Curiosamente, esse amigo se interessou em conversar mais comigo SOMENTE pelo fato de que eu mostrei que eu estava de forma LEGÍTIMA do lado dele, enquanto consegui mostrar que os esquerdistas estavam contra ele. Minhas idéias aumentavam o valor de SOBREVIVÊNCIA dele. As idéias dos esquerdista DIMINUÍAM esse valor.

Em toda a minha comunicação, eu usei linguagem simples, falei de fatos COTIDIANOS, e mostrei claramente os lados nessa guerra. Ele esteve sob a mira de uma arma por 2 horas. Por mim, aquelas pessoas não deveriam ter chance de fazer isso com ele, pois teriam pego uns 20 anos de prisão pelo primeiro crime, independente de serem menores ou não. Por causa dos esquerdistas, eles puderam humilhá-lo por duas horas.

Eis que, dias depois, ele puxou assunto comigo de novo para falar do tema, e já interessado sobre política:

  • SEQUESTRADO: LH, você tinha razão, eu vi esses dias no jornal um jornalista defendendo os manifestantes da USP e pedindo a saída da polícia.
  • LH: É sempre assim, a vida desses caras é só isso. Usar discursos de ódio à polícia, apologia ao crime, e outras bobagens. E enquanto isso, os cidadãos que trabalham que se danem.
  • SEQUESTRADO: Não dá para admitir isso.
  • LH: Quer ver outro exemplo? Você foi sequestrado, e a segurança pública não funcionou. Quase nunca funciona, por isso ando de blindado. Mas pagamos impostos absurdos. De novo culpa dos esquerdistas.
  • SEQUESTRADO: Eu não sei o que fazem com nossos impostos…
  • LH: Dá para imaginar. Só ver as denúncias dos ministros do Lula. Agora, veja uma coisa. 30% do que você ganha, no mínimo, hoje vai em impostos. Devíamos pagar no máximo uns 10%. Aliás, se for para ter essa segurança nula, poderíamos pagar 1%. Mas, vá lá, vamos considerar 10% como um valor ainda alto, mas aceitável. Que tal calcular a diferença entre o que você paga de imposto hoje, com 30%, e o que pagaria se a taxa fosse de 10%?
  • SEQUESTRADO: [fazemos as contas e ele se assusta] Nossa, é impressionante…
  • LH: Agora você entendeu por que tenho NOJO de esquerdistas? Além de você perder 8 mil reais nas mãos de bandidos por causa deles, você perde um valor AINDA MAIOR QUE ESSE por que o estado lhe cobra impostos exorbitantes. É claro que essa trupe está tirando na cara daqueles que trabalham honestamente…

Daí em diante, podem ter certeza: gente como Lula não recebe mais votos dele. De outros, com quem não falei, talvez. Mas desse gerente? Quase impossível.

A única coisa que o estado dos esquerdistas não fez com ele foi meter-lhe um revólver na cara. De resto, tirou-lhe até mais do que os bandidos lhe tiraram. Em suma, os esquerdistas estão fazendo da vida dele um inferno. É essa mensagem que tem que ser cravada na ALMA dele. Não um discurso complexo e para o qual ele nem daria ouvidos.

A comunicação foi efetiva, clara. Eu poderia até usar um discurso mais simples no caso de falar com um taxista ou com uma empregada doméstica.

Mas a mensagem que quero passar é que NÃO ADIANTA refutarmos os esquerdistas se não transformarmos essa refutação a eles em MENSAGENS SIMPLES que possam ser compreendidas pelo cidadão comum.

E eu não precisei falar mentira alguma, simplesmente fatos lógicos: (1) se a lei que os esquerdistas querem, e que e nós não queremos, não fosse aprovada, menores que já tivessem passado pela cadeia por crimes violentos NÃO TERIAM A OPORTUNIDADE de sequestrá-lo, (2) se as idéias de esquerdistas a respeito de impostos cavalares não fossem aceitas, ele não perderia tanto dinheiro suado nas mãos do estado quanto está perdendo. Se algum esquerdista disser que (1) e (2) são mentira, desafiarei-o a provar logicamente que são. Duvido que consiga.

Este é o tipo de comunicação que temos que dominar. Temos que falar ao CORAÇÃO daqueles que fazem parte da OPINIÃO PÚBLICA. Ou é isso ou aceitamos passivamente que os esquerdistas causem cada vez mais desgraças sociais.



Categorias:Outros

Tags:, , , , , , , ,

17 respostas

  1. De fato! Sempre procuro a mínima oportunidade para malhar os esquerdistas. Até crio oportunidades para isso, e isto nada é do q o brado de nossa alma, devido a realidade miserável q os esquerdistas nos trazem dia-a-dia. Gosto de explorar bastante as mensagens q eles gostam de vender nas músicas, filmes, documentários e jornais. O humanismo satânico!

    Por exemplo, no filme Avatar, o principal vilão (antagonista), Coronel Mile, deveria ser em verdade, o principal mocinho (protagonista). É ele q demonstra honra, determinação e fidelidade. Mas o q temos é uma magistral inversão de valores, q só um esquerdista como John Cameron poderia realizar, incluindo a demonização do homem conservador.
    Eis mensagem do filme: se você ama uma mulher tudo vale a pena (incluindo mentir, trair, matar, enganar,etc.). E muitos homens, inspirados por essa mensagem tola, irão mover o mundo em nome de sua amada crentes de que seus esforços serão recompensados.
    http://www.reflexoesmasculinas.com.br/2010/02/coronel-miles-quaritch-do-filme-avatar.html

    Curtir

    • Lembrando ainda, meu caro Jeremias L. , que Avatar é gay por definição, haja vista o roteiro ser o mesmo de Pocahontas da Disney 🙂

      Veja está foto do roteiro com as devidas substituições:

      Curtir

      • Obrigado por confirmar que eu estava certo. 😀

        Não vi (e nem pretendo ver) Avatar, ou Pocahontas, porque o meu “faro cinêmico” 🙂 me dizia que esses e outros filmes são pura perda de tempo — assim como, graças ao meu “faro literário” 🙂 nunca precisei ler Harry Podre para saber que as aventuras do bruxo de-araque são um monte de lixo 😛

        Curtir

    • “Por exemplo, no filme Avatar, o principal vilão (antagonista), Coronel Mile, deveria ser em verdade, o principal mocinho (protagonista). É ele q demonstra honra, determinação e fidelidade.”

      O coronel Miles é um mercenário lutando a favor dos interesses de uma mineradora. Pode até ser “determinado e fiel”, mas a serviço de que interesses? Neo-ateus também podem ser “determinados e fiéis” a sua causa e nem por isso você acha que deviam ser chamados de heróis. Quanto a honrado, qual a honra em iniltrar um espião para obter informações sobre o alvo de forma a promover a morte e a destruição de outra cultura, preterindo possibilidades de negociação pacífica?

      Eis a mensagem que o filme deveria ter segundo o Jeremias: se você ama dinheiro ou unobtanium tudo vale a pena (incluindo mentir, trair, matar, enganar,etc.).

      Curtir

  2. Aliás, Luciano, sabendo q uma das suas especialidades é cinema, gostaria de sugerir uma ideia q acho q vai GOSTAR:

    Criar uma série explorando os meios de mídia, como música, tv, propaganda e publicidade.
    Isto poderia ser feito com foco na exposição das mensagens asquerosas contidas nestes meios.
    Abc! JT

    Curtir

    • Não querendo sabotar meu colega Luciano – até porque nossos Blogs tem finalidades diferentes, embora as intersecções sejam notáveis – nem fazer publicidade gratuita :), meu blog, sem atualizações recentes por falta de tempo, tem como proposta fundamental a caça de subversão nas mídias, daí o nome O Macartista, uma homenagem ao belo trabalho de Joseph McCarthy na Guerra Fria. Fiz algo neste sentido “Criar uma série explorando os meios de mídia, como música, tv, propaganda e publicidade.” com o desenho Super-choque:

      http://omacartista.blogspot.com/2011/07/super-choque-o-super-heroi-ongueiro.html

      Curtir

      • Pôxa, q bacana. Duvido q Luciano achará ruim uma divulgação assim, pois ele sempre me aconselhou a inciar um blog da mesma família q o dele. O marcatista está favoritado.

        Curtir

  3. Sugiro aos leitores daqui a leitura (que é bastante rápida) deste tópico do orkut.

    http://www.orkut.com.br/Main#CommMsgs?cmm=113096676&tid=5686576643674115928

    Vocês sabem, né… temos que ficar de olho, pois o Luciano Ayan talvez possa estar fazendo o verdadeiro Controle de Frame ao insinuar que ele é o paladino da honestidade intelectual que só usa táticas sujas para se defender de pessoas más e mesmo assim ele está apenas “falando ao coração”. Já os ateus e esquerdistas, ah.. são uns malvados que fazem a mesma coisa que ele mas mesmo assim são mals.

    Os inimigos do Ayan são astutos Controladores de Frame. Mas o Ayan e seus amigos são bravos guerreiros que usam essas táticas para se defenderem daqueles que apelidaram (via Controle de Frame) de inimigos e que estão apenas falando ao coração (oin que meigo).

    Eu sou bem cético quanto às reais intenções dos artigos sobre “Controle de Frame” e “Falar ao Coração”. Será que isso não é uma tentativa desesperada de controlar o frame posando de herói que vai livrar o mundo de ateus/esquerdistas malvados?

    Posso até levantar framework do Ayan aqui:

    1) Projeção de paraíso em Terra –> Projeção do controle de frame como arma de manipulação
    2) Simulação de que se pertence ao grupo que criará este paraíso –> Simulação de que pertence ao grupo dos céticos que não se deixam manipular
    3) Definição de bodes expiatórios (que seriam aqueles que não deixam o paraíso ocorrer) –> Definição daqueles que usam o Controle de Frame por serem manipuladores, desonestos etc
    4) Aplicação da mesma estratégia manipuladora com a desculpa que está apenas se defendendo e falando ao coração.
    5) Obtenção do status de herói.

    Aliás, o LA não tem um pingo de ceticismo, ele apenas repete isso ad infinitum, o que pode ser realmente caracterizado como controle de frame. Um verdadeiro cético questiona as ideias que lhe são apresentadas para decidir se acredita nelas ou não. O LA decide no que não acreditar primeiro e depois questiona as ideias. Isso não é ceticismo, é defender sua crença + controle de frame para oarecer cético.

    Curtir

    • Vou responder a tudo isso (refutando tudo, obviamente) em um post entre hoje e amanhã. O que dá para notar é que você NÃO ENTENDEU ABSOLUTAMENTE NADA do que eu escrevi. Parece que leu algumas palavras, criou uma interpretação em sua mente e saiu protestando. Agora, irá pagar o preço do ridículo por isso, pois dá para refutar parágrafo por parágrafo do que você escreveu. Abraços, LH.

      Curtir

      • Hehe…. Este Bruno Almeida já tomou caldo do Snowball e já está se preparando para tomar um caldo do Luciano Ayan. Esse gosta de apanhar.

        Curtir

  4. Para que o “mau” vença basta o “bem” não fazer NADA.

    Curtir

  5. Luciano, realmente os esquerdistas são especialistas na arte de iludir o povo; de repetir incansavelmente várias mentiras, até que estas se transformem em “verdade”; de arquitetarem armadilhas intelectuais e de se utilizarem de todos os estratagemas a fim de implementarem sua ideologia para, ao fim, usufruírem das vantagens que tais manobras lhes propiciam.

    É certo, outrossim, que os esquerdistas têm especial habilidade no ofício de inverter os valores. Veja, por exemplo, que quando um bando de agitadores de qualquer sindicato vai para a Av. Paulista, no horário de pico, fazer baderna, eles são escoltados pela Polícia. O mesmo acontece com os bandalheiros do MST, que, igualmente, têm a proteção policial para causar tumultos nas ruas das grandes cidades e a complacência dos esquerdistas “caridosos e altruístas”, para invadirem, depredarem, destruírem e dilapidarem o patrimônio alheio.

    Ao revés, quem quer trabalhar encontra sempre, e cada vez mais, dificuldades por parte dos esquerdistas do poder. De início, a descomunal carga tributária (que continua crescendo) é um grande fardo que todos nós temos de carregar; os agentes fiscais, quando entram em uma empresa, já consideram antecipadamente que o empresário, seja ele pequeno, médio ou grande, é um inescrupuloso, explorador, sonegador de impostos e bandido e, com base nessa ideia preconcebida, os fiscais fazem de tudo para prejudicar ao máximo o empresário, com lançamentos indevidos, multas descabidas e apurações inexistentes.

    Da mesma forma, ao menos em São Paulo (capital), os ônibus fretados só podem trafegar em poucos horários e vias (prejudicando não só os trabalhadores, como os donos dos ônibus); os caminhões, da mesma forma só podem trafegar pelas ruas para realizarem suas entregas, durante uma poucas horas da madrugada. Isso sem falar no martírio que é manter, em dia, a contabilidade de qualquer empresa.

    Ou seja, quem quer fazer bagunça, agitação, baderna e arruaça tem tanto a complacência, quanto a proteção e até mesmo o apoio dos esquerdistas. Porém, que quer trabalhar encontra toda sorte de dificuldades, empecilhos, barreiras e obstáculos.

    Nisso, parece que concordamos.

    Entretanto, Luciano, peço-lhe licença para fazer uma observação quanto à sua colocação de que se tem de prender menores bandidos e punir severamente os bandidos. A princípio, concordo com você, com a mensagem que quis (pelo que entendi) transmitir: Todo crime deve ser punido “severamente”.

    Se assim for, estou com você no seguinte: “Todo crime deve ser punido” e não aprovo o “severamente”.

    É que os Direitos Fundamentais, insculpidos no artigo 5o da Constituição, a saber, direito à vida, à liberdade, de ir e vir, direito à liberdade de expressão, direito à preservação da intimidade e privacidade; direito à ampla defesa e ao contraditório; direito ao devido processo legal, de ser preso somente em flagrante ou por ordem fundamentada de juiz; direito a saber quem são os responsável pela prisão, entre outros, tais direitos visam a proteger o cidadão contra a força incomensurável do Estado; objetivam a proteger o cidadão da tirania de um eventual mandatário e até mesmo de esquerdistas que pretendam fazer uso do arbítrio, da violência e do abuso para prejudicar seus desafetos, adversários e “inimigos”.

    Assim, o homem de bem, que não se alinha com a ideologia do Estado, tem de estar protegido contra ele, por isso a necessidade dos Direitos Fundamentais.

    Diante disso, se adicionarmos o adjetivo “severamente” ou “exemplarmente”, estaremos, penso, abrindo uma perigosa brecha para que se cometam execráveis injustiças contra o “criminoso eventual”, que é aquele que, diante de uma “oportunidade”, comete um pequeno delito (mas deve ser punido por ele, mas não “severamente”), e estaremos também, colocando em risco o próprio homem de bem, que eventualmente não se alinhe com a esquerda dominante e que pode ter um leve deslise (todos estamos sujeitos a isso) utilizado pela esquerda como pretexto para uma perseguição implacável e uma punição “severa” e “exemplar”.

    Seja como for, parabenizo-lhe pelo seu texto, pois além de esclarecedor e revelador, nos faz raciocinar.

    Curtir

  6. Entendi esse post Luciano, MAS creio que deva acrescentar algo a ele inclusive em seu favor.

    O que você fez foi muito simples com esse gerente: você RECOBROU a DIGNIDADE inerente dele como trabalhador honesto que paga impostos absurdos sem receber a contraparte devida do Estado e que sofreu uma INJUSTIÇA, sem tirar nem pôr e que nenhuma balela relativista justifica de forma autêntica. O que ocorreu com esse cidadão é que o que ele DEVIA sentir foi despertado, o que ocasionou a aclaração de tal cidadão do que EM REALIDADE ocorrera com ele e o que ocorre com seus similares. Tá, vamos dar um benefício a dúvida aos seus adversários e SUPOR de relance que você foi “ardiloso” (ou “oportunista, ou “tratante”, ou qualquer outro insulto à sua escolha – ou melhor: à escolha de seus enfezados adversários…) com tal gerente. Ainda assim, você fez isso, mesmo TALVEZ não sentindo compaixão real pelo que ocorreu com ele, EM BENEFÍCIO E RECUPERAÇÃO CONCRETA DO PRÓPRIO, que não vai mais – assim torcemos – aceitar que as desventuras CALCULADAS por CRIMINOSOS sejam um “shit happens” da vida e dar de ombros.

    Compare seu método com as dos teóricos da esquerda em um todo: no geral, eles IMPLANTAM SENTIMENTOS ARTIFICIAIS E DESTRUTIVOS EM INFELIZES QUE SUPOSTAMENTE SOFREM SEVÍCIAS PROPOSITAIS dos “donus du pudê”. E isso tudo SÓ, no fim das contas, para benefícios DESTES TEÓRICOS E DOS MOVIMENTOS LIDERADOS – e que, de novo, SÓ BENEFICIAM ELES. Wilhelm Reich, por exemplo, propunha a CONQUISTA DAS MASSAS pelo SENTIMENTALISMO; Lenin mesmo, e DIVERSAS VEZES, encorajava o uso deliberado de MENTIRAS e o aumento do ÓDIO e da INVEJA como combustíves na luta de classes; Marcuse prometia a LIBERTINAGEM SEXUAL ABSOLUTA com a sua revolução… E a lista vai adiante nos escritos próprios, de Marx a Zizek e depois para o futuro, desses proponentes que nem mesmo ao coração das massas apelava se considerarmos bem – mas sim ao ESTÔMAGO e o BAIXO VENTRE, se é que me entendem.

    Para terminar, só comparem a caridade cristã – algo RECOMENDÁVEL de forma espiritualmente individual e, acima de tudo, LIVRE – com o altruísmo comteano – uma coletivização AUTORITÁRIA que, levada ao extremo, só beneficiaria larápios enquanto que o reto dos cidadãos de uma comunidade se veriam INCAPAZES de se ajudarem uns aos outros e em serem ajudados.

    Por fim, o último link que eu havia lhe prometido no domingo:

    http://www.questionsquestions.net/docs04/russell.html

    Grande abraço!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: