Nebacetin financiando casamento gay… e adoção por casais gays

16
13

 

O comercial acima tem uma intenção clara: a empresa que fabrica a pomada Nebacetin PROMOVE o casamento gay e a adoção de crianças por esses casais. E como se isso não fosse suficiente, ainda DETERMINA que esse é o “novo conceito de família”.

Ao que parece, tomaram uma posição bem clara, e naturalmente estão pedindo um boicote deste produto. (Até porque existem outras pomadas cicatrizantes no mercado, e o uso do Nebacetin pode ser plenamente substituído)

Notem bem. Eu não tenho nada contra o direito dos gays darem o rabo e acho que o fiofó é deles, portanto façam o que quiserem. Também acho que qualquer ato de agressão a um homossexual somente por causa de sua opção sexual é um ato odioso por si só.

Entretanto, IMPOR o estilo de vida gay, de forma arrogante, para o restante da população conservadora, isso sim já é um ato de provocação. É um ato de desrespeito frontal à toda uma população conservadora e heterossexual. (Já os esquerdistas, devem estar vibrando, gritando “que fofo, que lindo, que maravilhoso”)

E no momento em que uma empresa parte para esse lado, provavelmente estão dizendo que não precisam mais de nós como clientes.

Eu farei a minha parte nunca mais comprando essa pomada. E, no caso dos outros produtos da empresa, sempre que puder substituir, farei-o.

Anúncios

16 COMMENTS

  1. Meu hall de produtos boicotados cresce XD, fora estes se empresas que cederam à geystapo (e jogos como elsder scrolls skyrim que somente para não sofrer represálias, adicionou um minguado e inutil modo de casamento no jogo com a possibilidade de casamento homossexual), ainda tem os produtos que nos usam como cobaias, como os alimentos irradiados (radiação com fins de conserva) e os zero açucar que contém asparteme para substituir o açucar (aspartame são as fezes da bactéria E.coli, lembra dela? Depois de darem lixo radioativo para ela decompor…), todos informados não terem sido testados, mas aprovados pelos governos (a longo prozo podem gerar muitas doenças, sendo o cancer a principal…)

  2. O Luciano fala de “IMPOSIÇÃO do estilo de vida gay”, mas a propaganda mostra DOIS casais héteros, uma mãe solteira(?) e um casal homo. Ato de provocação é você, Luciano, querer impor a remoção do casal homo só porque não condiz com a sua crença.

    Só uma dúvida: os conservadores são os donos do conceito de família?

      • Você mesmo acabou de dizer ao Paulo que é um cenário de confronto, você se achou “provocado e invadido” e agora vai provocar de volta, dando piti e não usando a pomada porque ela é de esquerda. Detalhe que não tem imposição nenhuma, visto que a propaganda representa todos, sendo os casais héteros o dobro do homo (ou o triplo, contando a mãe solteira). Ou será que agora as empresas têm que excluir gays (e mães solteiras, por que não?) de seus comerciais, fazendo de conta que eles não existem?

        Mas minha parte favorita é a rotina “Defesa das criancinhas conservadoras”: “O problema são as pobres criancinhas conservadoras, ora elas vão ser expostas à diversidade de opiniões do mundo! Inadmissível!” — e isso dito por quem se diz a favor da liberdade de expressão. Bom, desde que você vá se expressar pra lá, fora da bolha das minhas criancinhas conservadoras.

      • E qual o problema em não usar a pomada? Se a propaganda definiu o seu público, obviamente ela toma partido. Aliás, “propaganda representa a todos” é uma rotina que não funciona, pois a propaganda defende a relação gay como NORMATIVA, e obviamente ela é tão normativa quanto a zoofilia e a pedofilia. Logo, se eles querem transformar isso em ‘família’ e ensinar isso, estão em confronto.

        Só estou reconhecendo os fatos.

        Aliás, em nenhum momento estou contra a liberdade de expressão. Em que momento pedi censura à campanha? Favor não cair no mesmo nível do Bruno Almeida, que dá chiliques a cada post que eu escrevo fantasiando coisas que jamais escrevi.

        Desafio você a achar qualquer coisa contra a liberdade de expressão em meu post.

        P.S. – Aqui não há piti nem chilique. Isso é coisa de quem usa Nebacetin. rs

      • “Aliás, em nenhum momento estou contra a liberdade de expressão. Em que momento pedi censura à campanha?”

        Ué, não sei. Nem falei nada sobre você pedir censura, inclusive…

        Se formos debater o assunto eu prefiro fazê-lo em algum lugar neutro, tipo a Área Radiotiva.

      • Ok, é que sua frase “e isso dito por quem se diz a favor da liberdade de expressão” ficou bem mal explicada. Se acusar-me de ser contra a liberdade de expressão, é claro que pedirei provas de que eu sou contra a liberdade de expressão. 😉

  3. Realmente Luciano, não entendo você. Uma hora diz que não tem nada contra a união homoafetiva (por que não, casamento), nem contra a adoção de crianças por gays. Noutra dá um chilique quando um comercial mostra um casal gay com uma criança…
    A única coisa que vi foi sua intolerância por causa de um comercial que afronta seu monopólio do conceito de família…
    Afinal, qual seu posicionamento? Não tem “nada contra o direito dos gays darem o rabo”. Apenas acha que eles sequer podem dar as mãos em público… Aparecerem com uma criança e falarem que são uma família então! Que afronta!
    Faz um bom trabalho divulgando excessos de gayzistas e bizarros como Laerte, mas acho que falhou miseravelmente neste post.
    Abs.

    • Paulo,

      Não há chilique algum, além do mais você está vendo coisas em meu post que não tem nada a ver com o que postei. Eu não critiquei o fato de aparecerem de mãos dadas. O fato é que havia ali uma imposição cultural de um relacionamento gay como normal. A questão nao é eles afirmarem que “são uma família”, mas sim uma terceira parte endossando isso. O problema é que essa propaganda é exibida também aos filhos de casais conservadores. Ou seja, é invasão de território. Se isso ocorre, é um confronto. Eu não preciso comprar produtos de grupos que formalizaram um confronto. Simples, é meu direito de consumidor.

      Qual a falha lógica em um conservador decidir boicotar um produto pelo fato do fabricante do produto estar em confronto político contigo?

      Abs,

      LH

  4. Falhou feio, Luciano.

    Uma coisa é atacar o gayzismo e outra é procurar chifre em cabeça de burro.
    Queira você ou não, passou dos limites, condenou a diversidade sexual pura e simplesmente, sem justificativa racional.

    “O fato é que havia ali uma imposição cultural de um relacionamento gay como normal.”

    Não, não havia. Como disso o Fabrs, os casais heterossexuais prevalecem e há apenas uma menção a um fenômeno da modernidade, uma nova formatação de família.
    Em nenhum momento o comercial endossa ou refuta tal formatação, apenas apresenta como uma mudança na sociedade. Você quer negar óbvio, que o fenômeno acontece? Seria como negar a existência de divórcios só por ser contra divórcios.
    Aliás, você criaria um post parecido caso o comercial mostrasse pais heterossexuais divorciados tratando seus filhos com Nebacetin?

    “O problema é que essa propaganda é exibida também aos filhos de casais conservadores.”

    E aos filhos de casais liberais, cristãos, evangélicos, palmeirenses, corintianos, gays, deficientes e a toda sociedade. Não há problema algum com a propaganda poque ela não ataca a opção sexual de ninguém, nem vende uma opção como norma.
    Olha lá hein, Luciano, você está metendo os pés pelas mãos. A “norma” na sociedade brasileira, por exemplo, são famílas heterossexuais MESTIÇAS, de tom de pele bem mais escuro do que o apresentado na propaganda. Incomoda você então o fato de Nebacetin sugerir como normal uma sociedade branca quando a maioria é mestiça?

    Não há nem racismo nem gayzismo nessa propaganda, mas, se você quiser defender o contrário, ou aceita ambos ou estará me saindo um conservador da pior espécie: desonesto intelectual.
    Aí ficará difícil dar credibilidade às suas críticas sobre o esquerdismo…

    • Não sei se você percebeu, um discurso emocional não muda os fatos. E você está tentando transformar opiniões em fatos.

      Se a propaganda diz que “hoje há uma novo tipo de família”, então está endossando um tipo de comportamento como NORMATIVO. E, se estão invadindo o território de nossas crianças com esse tipo de declaração, é um sinal de confronto. Para meus filhos, eu direi que o comportamento gay NÃO É NORMAL, é de EXCEÇÃO. E nem de longe são uma família como a que eu tive. Sorry, são os fatos. Se outro grupo quiser afirmar o contrário, estamos em guerra cultural.

      Além do mais, pais heterossexuais divorciados tratando seus filhos já fizeram a configuração de uma família padrão, portanto seu argumento não passa.

      O fato é que se a propaganda diz “hoje é assim, aceitem” estão partindo para um avanço territorial. Talvez pedindo para que um concorrente faça uma propaganda com uma família tradicional, aí sim dizendo como pais e mais sob um casamento tradicional tratariam seus filhos. E dizendo: “isso é família para nós”.

      Notou que são visões de mundo diferentes?

      Além do mais, tenho liberdade de consciência para não mais comprar Nebacetin. Ver desonestidade intelectual nisso somente poderia vir de alguém, aí sim, que está sendo intelectualmente desonesto.

      Aliás, minhas “crítica quanto ao esquerdismo” são refutações baseadas em fatos, checagem de argumentos. Se você não gostar mais de minhas refutações somente pelo fato de que tenho liberdade de consciência para não mais comprar um produto, e mostrar meus motivos para isso, não há o que eu possa fazer.

      Mantenho a totalidade de meu post, sem retificações.

      • E depois tinha leitor seu dizendo que você era honesto.
        Mais um que censura, esconde, varre para baixo do tapete a própria inépcia.

        Parabéns, Luciano, você confia muito no seu cacife intelectual para fazer isso. Sempre aprovou meus comentários de pronto, o crítico que te desnuda não.

        Ok, continue com esse blog e coloque a cabeça tranquila no seu travesseiro agnóstico. E torça mesmo para que não exista um Deus que puna gente que faz o que você faz.

      • Euclides, se algum post seu foi barrado, é por que talvez tinha

        (a) desaforo
        (b) provocação

        Crítica em relação aos argumentos são bem vindas. Aliás, já achei algumas de suas críticas bem construtivas.

        Em relação ao post sobre o Nebacetin, farei um explicando que em minha atítude de crítica à empresa, não havia nada de:

        (a) luta contra a liberdade de expressão
        (b) tentativa de exigir que os gays escondam seu comportamento

        Ainda continuo achando que você fez uma interpretação emocional de minhas intenções naquele texto. Mantenho a postura de pleno respeito ao direito dos gays fazerem o que quiser, mas também tenho o direito de defender meus filhos de afirmações como “aqui está o novo conceito de família”.

        Eu não ensinarei o meu filho que este é o ‘novo conceito de família’, é um fato. Se alguém quiser ensinar isso, sabe que está em oposição.

        Quanto a propaganda não mostrar um casal negro, é um fato, mas não há diferenças técnicas entre um casal negro e um casal branco, ou um relacionamento interracial. Se os negros quiserem protestar pedindo para que mais casais negros sejam representados em propagandas, não vejo problema algum. (Acho que isso responde sua objeção)

    • Euclides, nada a ver o que você falou.

      A propaganda exibe claramente uma “família” gay(dicionário pra que, né?) como algo normal. Ele representa uma mudança na nossa sociedade SIM, mas trata tal mudança como algo NORMAL.

      Da mesma forma, a mulher que aparece como “pai e mãe” não é algo NORMAL, como trata a propaganda. O NORMAL é ter um pai e uma mãe, e não uma única pessoa que é os dois. Não menos normal é uma dupla de pais.

      Ou seja, a propaganda coloca como normal à nós que hajam “famílias” compostas de “casais”(mais um problema com o dicionário, por sinal) gays e até mesmo famílias que nem são compostas por um casal sequer. Do jeito que tá daqui a pouco vai ter gente sozinha que diz que tem uma família “normal”…

  5. Eu cheguei a mandar um mail para a empresa. Disse que não compraria mais a pomada. Eles me responderam tentando se defender, alegando aquela velha embromação, de que abordaram todas as configurações de “famílias”, só que o problema é justamente este, eles apresentam “configurações de família” que não são configurações de famílias. Cara, chega ser nojento ver como esses safados usam empresa até mesmo de pomada para avançar com suas ideologias perversas, onde estiver o dinheiro eles vão se aproveitando. Agora estão tentando impor uma censura na internet, (NÃO estou falando so SOPA, nem do ACTA) , pois como as pessoas tem abandonado o uso de televisão e migrado para a internet, parte do poder de manipulação deles tem se perdido.

Deixe uma resposta