O olé de Giles Fraser pra cima de Richard Dawkins

11
1

Fonte: Gazeta do Povo

Parece que um dos assuntos do momento (na Inglaterra, não aqui) é o olé que o reverendo anglicano Giles Fraser deu em Richard Dawkins durante um programa de rádio na BBC. Para encurtar a história, Dawkins estava falando de uma pesquisa feita por sua fundação com pessoas que se declararam cristãs no último censo britânico. Um dos dados mostrava que dois terços dos autodeclarados cristãos não sabia qual era o primeiro livro do Novo Testamento. Fraser interveio e disse que esse não era um modo confiável de avaliar a religiosidade das pessoas, e para comprovar isso perguntou a Dawkins qual era o nome completo de A origem das espécies. Depois de um punhado de “ums” e “ers”, e até um “oh, God”, o biólogo não conseguiu se lembrar (mas chegou perto). Para quem quiser ouvir, está aqui (o trecho em que Fraser pergunta sobre o livro está perto de 3:30). O diálogo, transcrito pelo Huffington Poste traduzido por mim, é o seguinte:

  • Fraser: Richard, se eu lhe perguntasse qual o título completo de A origem das espécies, tenho certeza de que você seria capaz de me dizer.
  • Dawkins: Sim, seria.
  • Fraser: Então vamos lá.
  • Dawkins: Sobre a origem das espécies… hm, com, oh, Deus. Sobre a origem das espécies… e tem um subtítulo referente à preservação de raças favorecidas na luta pela vida.
  • Fraser: Você é o sumo sacerdote do darwinismo. Se você perguntasse essa questão a pessoas que acreditam na evolução e voltasse dizendo que somente 2% acertaram, seria muito fácil para mim dizer “então, eles não acreditam nisso”. Não é justo perguntar esse tipo de questão. As pessoas se autoidentificam como cristãos e eu acho que você deveria respeitar isso.

(Em português, o título original seria Sobre a origem das espécies por meio da seleção natural ou a preservação de raças favorecidas na luta pela vida)

Meus comentários

Esse tipo de jogada feita por Fraser serve para mostrar que uma das principais rotinas de Dawkins pode ser neutralizada.

Não é um argumento à favor da religião, claro, mas sim em relação ao fato de que muitos adeptos de uma doutrina qualquer podem não segui-la a risca ou mesmo não lembrar dos mínimos detalhes dos livros relacionados a ela.

É possível que muitos seguidores de Dawkins não tenham lido toda sua obra, assim como muitos marxistas não conhecem a integra de todos os livros de Marx.

Portanto, a afirmação de que se um número de leitores que não conhece a fundo os cânones de sua doutrina isso configura algo contra ela (Dawkins diz que muitos cristãos só o são por pura formalidade, e usa os dados para simular isso) não se sustenta.

Muitos darwinistas não conhecem a obra de Darwin a fundo e isso não demonstra que eles não são darwinistas.

O truque de Dawkins pode ser rotulado como Ampliação Indevida. A idéia dele é fingir que muitos cristãos só o são “por comodismo”, e a prova dele seria que muitos não citam passagens da Bíblia de forma decorada, ou até se enganam sobre alguns termos. Aí para definir alguém como cristão ele só aceitaria que a pessoa conhecesse decor e salteado todos os livros.

A excelente rebatida de Fraser mostra que Dawkins continua sendo darwinista (mesmo que ele cometa erros grosseiros, como ampliar o escopo do darwinismo para fantasiar memes), mesmo sem ter lembrado do nome completo de “A Origem das Espécies”.

Enfim, mais um truque neo ateu desmascarado.

Anúncios

11 COMMENTS

  1. O mais divertido é que ‘ateuzinhos de butique’ falam ‘mas este é um argumento falacioso’ ou ‘eu sou ateu, não sou adorador de Darwin’ ou qualquer idiotice do gênero. Esquisito como eles viram céticos de uma hora pra outra!

    Ah, Luciano, eu sei que é antiga, mas lembra de uma do Bule Voador que eles confiaram numa notícia de uma enfermeira crente fanática que tentou matar um cara que assistia Carl Sagan?

    http://sentircomaigreja.blogspot.com/2012/01/e-entornou-o-bule.html

    Acho que merece uma ‘difamadinha’, não?

  2. Olá Luciano!

    Esse vídeo aqui do Padre Paulo Ricardo, faz uma denuncia da situação lastimavel que se encontra os católicos do Brasil, devido ao lixo marxista da teologia da libertação que transformou boa parte da Igreja Católica aqui no Brasil, em uma “Igreja da Corte”, uma Igreja que está dizendo Amem a esse governo do PT.

    • Não entendi aonde seria indevida. O critério do Dawkins para definir que alguém não é aderente a algo é o desconhecimento de alguém em relação a detalhes desse algo, não?

      • Luciano, já cansei de ver sacerdotes socialistas como Giles Fraser bater bova com ateus criticando -os suas militancia ateia.

        Leonardo Boff em um programêco esquerdista da Rede TV chegou a também a criticar ateus pelas suas incoerências.

        mas vindo de marxistas, seja Boff, seja Fraser, temos que ficar mais atentos do que comemorarmos.

Deixe uma resposta