O que “se ater aos fatos” significa?

1
7

Eu não creio na bondade humana. Os leitores deste blog já devem ter percebido isso.

Quando alguém diz em debates “estou aqui para chegar à verdade, e quero o bem de todos” eu automaticamente duvido. Se eu falar algo do tipo, meu oponente também está livre para duvidar.

Aliás, algo que jamais irá me ofender em qualquer debate é um oponente afirmar: “Luciano, desde o princípio estou desconfiando de você.”. O máximo que eu falarei é o seguinte: “Muito bem, você está certo, pois a crença no ser humano é algo que repudio. Também estou desconfiando de você”.

Isso significa que eu tenho a plena noção de que quando estou em um debate contra um oponente político (ou seja, qualquer esquerdista), sei que ele tem uma única função: vencer o debate contra mim. Não me iludo quanto a isso. Mas novamente ressalto, pau que bate em Chico bate em Francisco, e se ele quiser tomar a premissa de que a única função minha no debate é vencê-lo, ótimo.

O papo aqui é reto: debates tem uma função intrínseca, que é a obtenção de vitória ou derrota no conflito de idéias. A era dos debates dialéticos morreu há mais de 400 anos. Hoje se não entrarmos em um debate para vencer, significa que entramos para perder.

Uma conclusão desanimadora desta perspectiva poderia ser: “Lamentavelmente, o Luciano não crê na verdade, é um relativista, e adepto da máxima que os fins justificam os meios”. Isso não é verdade, mas se algum oponente de debate tomar isso como premissa, sem problemas, pois é a premissa que tenho de muitos esquerdistas.

Só que mesmo que tenhamos somente duas opções em debates políticos contra os oponentes (vencer ou perder), isso não implica que não possamos nos ater aos fatos. E é justamente isso que defendo: para o conservador político a chave para a vitória nos debates é se ater aos fatos, enquanto que para o esquerdista é mentir o quanto for possível.

Calma, Júnior, ainda tem mais: mesmo que alguém use a chave para a vitória, as portas só serão abertas se você efetivamente vencer o debate, ou seja, refutar todos os estrategemas, desmascarar todas as mentiras, ser mais high profile que o oponente, alinhar a linguagem com a platéia e, por fim, controlar o frame.

Se você fizer tudo isso, e ainda assim estiver apoiado por fatos, vencerá a contenda. Por issso, minha missão aqui é definir o que significa “se ater aos fatos”, quando eu sugiro esse procedimento nos debates.

Antes tenho o que dizer o que NÃO É “se ater aos fatos”. Simplesmente chegar e afirmar no início do debate “estou do lado dos fatos”, sem apresentar uma argumentação a favor disso, não é se ater aos fatos, mas sim tentar dar uma carteirada e jogar para a platéia e, se o leitor tiver entendido bem o meu paradigma de ceticismo aqui, até esta afirmação deve ser colocada sob ceticismo.

É fácil entender como isso funciona visualizando o cotidiano. Um exemplo é a campanha dos neo ateus que ridicularizei aqui, em que eles afirmavam serem “melhores amantes”. Mas alguém afirmar que é “melhor amante” não significa absolutamente nada. Já um scan cerebral feito em uma parceira, mostrando que ela chegou a um êxtase sexual maior do que a média dos antigos parceiros dela, poderia PROVAR que o sujeito realmente é um amante melhor que os outros.

Da mesma forma, quando alguém mostra que “se atém aos fatos”, está automaticamente mostrando isso ao público através de uma ação que demonstre esse comportamento, e não através de uma mera declaração dizendo “eu me atenho aos fatos”. Se fizer apenas isso, não será nada além do uso de rotinas similares a “Auto-cético” e “Dono da razão”.

Creio que já deu para explicar o que NÃO significa se ater aos fatos, e agora tenho que mostrar o que SIGNIFICA.

Se ater aos fatos significa agir de uma forma congruente com os dados que a realidade nos mostra, buscando sempre respaldar seus argumentos com esses dados, e ao mesmo tempo ser reconhecido desta forma por dois dos três tipos de participantes do debate: o seu lado e a platéia. Logo, é irrelevante o reconhecimento por parte do oponente.

Vamos a um exemplo bem claro. Imagine que você afirme, no debate, que defende o direito dos gays, e ao mesmo tempo defende o seu direito de discordar deste comportamento. Seu oponente esquerdista dirá: “você é homofóbico”. Note que ele apelou a uma mentira, e você poderá retrucar se basendo em fatos: “Homofobia é aversão a gays, e uma mera discordância não é aversão, você mentiu”. Já temos o conservador sustentado por fatos, e o esquerdista se apoiando na mentira, e isso ainda não é suficiente para garantir a vitória no debate.

Se o esquerdista usar as rotinas adequadas, sarcasmos, simulações de falso entendimento, erística e demais truques, poderá vencer o debate mesmo com a mentira. Você terá que quebrar todas as rotinas, ser sarcástico na mesma medida, anular todas as simulações de falso entendimento dele e a todo momento ser reconhecido pela platéia em sua ação. Somente aí sua ação de se ater aos fatos irá ter valido a pena e você vencerá o debate.

Esta é a grande dica que sempre segui (e aprendi com o Glenn Beck em seu livro “Arguing with Idiots”): quando for debater com esquerdistas, se atenha aos fatos e nada mais. Eu já vou além: se atenha aos fatos, enquanto o esquerdista estiver apoiado na mentira, e ganhe o debate em todos os pontos onde o esquerdista tentar ganhá-lo. Se o esquerdista falar a linguagem popular, fale também. Se ele simular falso entendimento sobre o que você está dizendo, dirija-se a platéia e fale que ele está distorcendo tudo. Se ele for irônico, seja mais irônico ainda. Faça tudo isso e tenha em mente o princípio de se ater aos fatos.

Se ater aos fatos não é só uma declaração de motivação, mas uma postura de como agir em debates.

Como eu falei antes, existem as 3 partes em um debate: os de direita, os de esquerda, e a platéia, em muitos casos neutra. Nunca se esqueça que você deve satisfações a duas dessas três partes: os de direita, que estão ao seu lado, e os neutros da platéia, que deverão ser convencidos por suas idéias. Se você falar a verdade e mostrar que está apoiado em fatos e o esquerdista continuar dizendo que você “está mentindo”, mostre para a platéia que é o outro lado que está mentindo, não você.

Faça tudo isso SOMENTE quando estiver seguro de estar do lado dos fatos. Ou adaptando uma máxima já usada contra os petralhas: “Quanto mais mentiras os esquerdistas falarem sobre a gente, mais verdades falaremos sobre eles”.

Anúncios

1 COMMENT

  1. Sempre reservo ao menos 0.01% de crença, para a possibilidade do Homem externar a verdade. O Homem é a única criatura que conheço capaz de mentir, mais um motivo para eu continuar um mega cético.
    Gostei do texto. O link dos Neo Ateus ridicularizados não funcionou aqui no Chrome.

Deixe uma resposta