Sobre a responsabilidade pelos crimes desnecessários

7
2

 

O vídeo acima anda fazendo algum sucesso na Internet. Justo.

Ali é mostrada a indignação de um delegado que teve um baita esforço para prender vários menores por tráfico de drogas, e foi obrigado a assistir aos mesmos “menores” serem liberados por uma juíza, amparada pelo Estatuto da Criança e do Adolescente.

Naturalmente, eu achei a atitude do delegado um tanto ingênua, pois ele sabe que existe uma legislação que PERMITE ao menor fazer o que quiser.

E ele também critica uma juíza, por esta ter feito a liberação do menor.

O fato é que ela apenas executou uma lei.

É direito moral do delegado estar indignado, e qualquer cidadão normal também estaria.

O problema é que a impunidade ao menor não foi algo criado pela juíza, mas sim por ESQUERDISTAS que, com sua eterna apologia e tolerância ao crime, criaram um cenário no qual uma juíza PODE liberar um menor de qualquer punição por seus crimes.

Quando o delegado aponta o dedo para os responsáveis, ele deveria olhar para o fato: muito antes da juíza, a culpa de qualquer crime desnecessário destes menores é daqueles que APOIARAM a criação de uma lei tornando os menores automaticamente impunes.

Anúncios

7 COMMENTS

  1. Viram agora que com a reforma do Código Penal, alguém que comete furto pode escapar de qualquer punição somente restituindo o bem e tendo o “perdão da vítima”?
    http://www12.senado.gov.br/noticias/materias/2012/04/20/juristas-querem-pena-leve-para-furto-simples-e-rigor-para-explosao-de-caixa-eletronico
    Assim fica fácil. Alguém comete 100 furtos e se o pegarem no centésimo, devolve a coisa e “ganha o perdão da vítima”. Afinal, qual o cidadão comum que tem coragem de carregar o peso da decisão de colocar alguém na cadeia, sendo que um ano depois o meliante está solto e muito pior?

Deixe uma resposta