Usando um vídeo de Yuri Grecco para ensinar algo aos conservadores

2
3

@

Embora um tanto repulsivo (não pelo conteúdo, mas pelo terrível problema de gases de Yuri, que o faz arrotar várias vezes durante o vídeo), a mensagem contida acima é interessantíssima.

Ele é de esquerda (quanto a isso não há dúvidas), apaixonado pela agenda gayzista e anti-religiosa, além de adepto da guerra de classes. Mais ridículo ainda: ele acredita assim estar “construindo um mundo melhor”.

Entretanto, ele faz uma defesa da intolerância que pode ser toda revertida contra ele e seu grupo ideológico. Segundo ele, é lícito ser intolerante, e quanto a isso ele está correto. E a constatação é automática: também podemos ser intolerantes com todas as idéias que ele defende.

Podemos ser intolerantes, por exemplo, com uma visão ampliada do anti-semitismo, que é a anti-religião de Dawkins. Não só podemos ser intolerantes, como devemos causar rejeição social a esse tipo de comportamento. Podemos ser intolerantes em relação à imposição do comportamento gay como normativo em nossos filhos, e devemos taxar essas pessoas dos piores adjetivos possíveis. Devemos ser intolerantes com a filosofia humanista, que além de ingênua é genocida em todos os níveis. Assim como devemos ser intolerantes com o genocídio, que é a consequência inevitável de idéias como as defendidas por Yuri.

Enfim, no vídeo Yuri nos habilita moralmente a sermos intolerantes com todas as idéias da esquerda. E, sem ironia, o que ele defende (em termos de usar a intolerância com um inimigo que achamos nocivo) é o que este blog sempre defendeu.

Além de tudo, devemos ser intolerantes ao extremo com denunciações caluniosas e uso do jogo de rótulos. Portanto, se um esquerdista disser que você é um racista (e caso você não seja) ou é homofóbico (e caso você não seja), seja intolerante, xingue o oponente de safado, mau caráter, escória da sociedade e, se achar conveniente, coloque a cereja no bolo lançando um processo por denunciação caluniosa.

Mas não é só isso. Podemos também ser intolerantes com alguns conservadores que ainda não entenderam as regras do jogo e são ingênuos no combate aos esquerdistas. Nada contra os que não querem participar do jogo político, mas, a partir do momento em que se entra na arena, a ingenuidade não pode ser tolerada.

Anúncios

2 COMMENTS

  1. Yuri Grecco diz: “Eu sou intolerante a burrice”. Moral da história: Ele não se tolera… É triste quando alguém não se aceita como é.

Deixe uma resposta