Bumlai assumiu empréstimo com PT por medo de ter suas terras invadidas. Isso é o fim da civilização…

1dez2015--jose-carlos-bumlai-ficou-mais-uma-vez-calado-na-cpi-do-bndes-por-orientacao-de-seus-advogados-o-pecuarista-se-recusou-a-responder-perguntas-e-em-determinado-momento-chegou-ate-a-mo

A maioria da mídia noticiou isso como se contasse algo do tipo “ah, fui comprar pão ontem e não encontrei” ou “ei, passei no posto para abastecer o carro e não tinha gasolina comum, só aditivada”. Mas isso é de uma gravidade absurda:

O pecuarista José Carlos Bumlai afirmou, nesta segunda-feira (30), que foi “burrice” assumir um empréstimo de R$ 12 milhões do Banco Schahin para o PT em 2004. Ele foi ouvido ontem pelo juiz federal Sergio Moro, na condição de réu da 21ª fase da Operação Lava Jato, batizada de Passe Livre.

No depoimento, Bumlai ressaltou que não foi dele a iniciativa de pedir o empréstimo. O pecuarista disse que foi chamado naquele ano para uma reunião no banco, da qual participavam o então candidato a prefeito de Campinas, Dr. Hélio (PDT), o então tesoureiro do PT, Delúbio Soares; o banqueiro Carlos Eduardo Schahin; o presidente do banco, Sandro Tordin; e os marqueteiros Armando Peraldo e Giovanni Favieri. O pecuarista disse que, nessa reunião, recebeu a proposta de assumir o empréstimo de R$ 12 milhões. Segundo Bumlai, metade do empréstimo seria usada no segundo turno da campanha do Dr. Hélio. A outra metade tinha sido solicitada por Delúbio para resolver uma necessidade de caixa do PT.

“Fui levado pela minha situação à época. Proprietário de 210 mil hectares de terra, e com o PT assumindo o governo federal, éramos um grande alvo para invasões. Eu não quis dizer ‘não’ [à proposta de assumir o empréstimo] até por uma questão de receio”, justificou Bumlai a Moro. O pecuarista lamentou ter envolvido o filho, Mauricio Bumlai, e a nora como avalistas do negócio, assim como o empresário Natalino Bertin, a quem pediu para intermediar o empréstimo ao PT, a pedido de Tordin.

O caso é o seguinte: se for verdade isso que Bumlai afirmou, um ato de empréstimo ilegal ocorreu a partir de pressão de uma milícia ligada ao PT. É como usar gangues de assassinos e traficantes para pressionar um empresário a ceder grana para um empreendimento sujo. Depois disso, se o MST não for enquadrado como organização terrorista e criminosa é porque tem gente dormindo no ponto.

Isso precisa ser apurado detalhadamente.

Fonte: Bumlai diz que foi “burrice” assumir empréstimo para o PT



Categorias:Uncategorized

6 respostas

  1. Se isso for mesmo verdade está caracterizado crime organizado, como eu odeio esse PT.

    Curtir

  2. As FORÇAS ARMADAS , tem que tomar a frente desse nosso Brasil. Tem que acontecer uma INTERVENÇÃO MILITAR CONSTITUCIONAL URGENTE!!! O BRASIL precisa avançar.

    Curtir

    • … pelo jeito NAO ENTENDEU NADA!

      Ai voce da todo o capital politico que a Esquerda precisa para fazer isso antes e ficar no Poder…

      A POLITICA SE GANHA COM POLITICA E MOSTRANDO A VERDADE, E MOSTRANDO A MENTIRA!

      Basta mostrar essa VERDADE, para os eleitores, assim como todas as outras evidencias, o PT nunca mais se elege em nada, se a gente fazer isso, agora ficar ai igual idiota pedindo intervenção, vai adiantar em que? ai o militar la, é um corrupto, fica com o Poder, e come o rabo de todo mundo… ou agora vai dar uma de socialista com fé cega na crença e acreditar que o militar é santo e intocavel, ao estilo incorruptivel? puts… se voce é direita, a primeira coisa que deve fazer é DESCONFIAR DO SER HUMANO!

      Curtir

    • Olha, até entendo que você esteja repetindo o que outra pessoa passou para você, mas vou tentar explicar a quantidade de erros só nessa frase:

      1 – Intervenção militar constitucional já está acontecendo. Intervenção militar não é o que quem “criou essa frase pensa que é. Intervenção militar é quando os militares são convocados pelo governo para fazer qualquer coisa fora de suas atividades normais. Auxílio a outros países, combate à dengue… tudo é intervenção militar. Forças Armadas tomar o poder tem OUTRO nome.

      2 – Na interpretação errada de “intervenção” (explicada em 1), não cabe na mesma frase “INTERVENÇÃO MILITAR” e “CONSTITUCIONAL”. Artigo 142 da Constituição é claro sobre quem as Forças Armadas devem obedecer. Se não é suficiente, temos a Lei Complementar 97/99, onde, na seção II, artigo 2º, temos, literalmente:

      “O Presidente da República, na condição de COMANDANTE SUPREMO DAS FORÇAS ARMADAS, é assessorado:

      I – no que concerne ao emprego de meios militares, pelo Conselho Militar de Defesa; e

      II – no que concerne aos demais assuntos pertinentes à área militar, pelo MINISTRO DE ESTADO DA DEFESA.”

      Como pode perceber, vou ter que corrigir sua frase para:

      “As FORÇAS ARMADAS , tem que tomar a frente desse nosso Brasil. Tem que acontecer um GOLPE MILITAR ANTICONSTITUCIONAL URGENTE!!! O BRASIL precisa avançar.”

      Pelo menos vamos dar o nome certo ao que se pede.

      Curtir

  3. O PT sempre foi uma organização criminosa. A tendência ao se revelar acertos, acordos ou contratos do PT com qualquer entidade do mundo; seja ditaduras, democracias, empresas, pessoas físicas ou ONGs; é encontrar crimes e mais crimes.

    O PT é uma organização criminosa disfarçada de partido político.

    Curtir

  4. Alguém lembra, novembro/dezembro 2015, depois do filho de Bumlai ser preso pela PF, invadiram a fazenda dele, as desculpas é que por ser terra de ladrão – e o sítio de Lula? -, mas, pode ter sido um tipo de recado, se abrir a boca sobre Lula, se falar… vai ter problemas.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: