Discurso de “novas eleições” é só truque petista para salvar mandato de Dilma

_____________________________marina-e-dilma

Todo mundo sabe que o discurso de “novas eleições” partiu de linhas auxiliares do PT, como PSOL e Rede. Mas o engraçado é que tem até uma (pequena) parte da direita que caiu nessa conversa feito um patinho. A Folha entregou o ouro:

[Lula] falou com Renan durante rápida passagem por Brasília, na qual fez uma reunião com a presidente afastada, Dilma Rousseff.

Ele tinha ainda um último evento em sua agenda, de que decidiu, por estratégia política, declinar. Deveria se reunir com cerca de 25 senadores em um jantar na casa de Roberto Requião (PMDB-PR).

O encontro serviu para selar uma proposta que será levada formalmente a Dilma: a de que poderão salvá-la do impeachment em troca de que, reempossada, proponha um plebiscito para a população decidir se quer ou não novas eleições presidenciais.

O número de senadores que compareceram ao jantar é maior do que os 22 parlamentares que votaram contra o afastamento de Dilma na primeira fase do processo no Senado. Ela precisa, para escapar definitivamente da degola política, de 27 votos.

A proposta dos senadores prevê que Dilma passe a defender essa solução abertamente, ao lado de movimentos de esquerda. Segundo integrantes da cúpula do PT, Guilherme Boulos, líder do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto), já aderiu à tese. João Pedro Stédile, comandante do MST (Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra), antes rechaçava a ideia, mas agora sinaliza repensar sua posição.

Lula é “simpático” à alternativa, mas sabe que Dilma não está convencida. O argumento que será usado para ela é o de que, se conseguir derrotar a proposta de novas eleições na consulta popular, reconquistaria a legitimidade para presidir o país.

Por isso, o ex-presidente voltou a fazer pontes com Renan. O senador sempre esteve no grupo oposto ao de Temer no PMDB. E, embora esteja convencido de que Dilma não tem condições de voltar ao comando do Planalto, tem ouvido a avaliação de que Temer é “frágil” e sem musculatura para superar a crise.

Isso faz de Renan um aliado importante na articulação por novas eleições. Lula disse a aliados que não iria ao jantar para não melindrar o presidente do Senado outros nomes do PMDB citados nos pedidos de prisão.

A preocupação dele é que sua presença entre opositores sugerisse uma “tomada de lado” sobre a situação do presidente do Senado.

O site ÁpyusCom descreve a estratégia mais do que clara:

A ideia envolve três etapas:

  1. De início, defender a antecipação de eleições presidenciais.
  2. Condicionar a absolvição de Dilma Rousseff no julgamento do impeachment a um compromisso da presidente afastada com a convocação de um plebiscito sobre a antecipação das eleições presidenciais.
  3. Se o plebiscito for convocado, lutar para que a antecipação das eleições seja derrotada, tornando legítimo o mandato de Dilma Rousseff.

Ou seja, o plano envolve defender uma ideia – a antecipação de eleições presidenciais – apenas para Dilma Rousseff ser absolvida. Conquistada a absolvição, passariam a lutar contra a ideia que defendiam até então.

Isso é no mínimo ofender a inteligência do brasileiro.

Enfim, quem defende “novas eleições” não acredita que tais eleições realmente ocorrerão. Na verdade, lançam apenas um embuste para salvar o mandato de Dilma. Tudo é muito óbvio e descarado.

Curta-nos e siga-nos no Facebook para receber todas nossas atualizações!



Categorias:Uncategorized

7 respostas

  1. Já teve maioria necessária na primeira votação, aqueles senadores que votaram sim e voltarem atrás, o farão para salvar Dilma, estarão definitivamente em conluio com Lula, PT e demais cleptocratas, são o pior tipo de traidores, pois fizeram pelos interesses mais sujos que existem.

    Curtir

  2. Eu acho graça, de que adianta pedir “novas eleições” urgentes pra presidente se é a mesma corja que vai se candidatar? Tem que ser 2018 mesmo, para que se amadureçam novas lideranças como Novo ou Bolsonaro.

    Curtir

  3. Pela milesima vez: eleicoes antecipadas nao podem ser materia de PEC e muito menos de “plebiscito”. Essa ideia estapafúrdia alem de GOLPISTA e INCONSTITUCIONAL! O pt e seus CAPACHOS sempre se julgando acima das leis e da constituição! Nao passarão!

    Curtir

  4. Quero mais que isso aconteça pois o tiro no pé seja dado pois Bolsonaro será assim eleito mais rápido comk presidente. Qualquer coisa será um tiro no pé eles só estamos esquecendo que se fizerem isso aí sim eles atestaram o óbito de todos os políticos, como gostaria disso.

    Curtir

    • Não haverá novas eleições, dificilmente será criado o plebiscito para que aja eleições, chegando lá, será verba parlamentar para todo o lado, ministérios sendo criados para – no escuro – comprar apoio contra o plebiscito. Assim age o PT e Dilma, os políticos que apoiam o golpe da Dilma fingem não saber.

      Curtir

  5. Nem Dilma, nem Temer nem senador NENHUM pode propor “pleibiscito”, “pec” nem NADA que trate de eleicoes antecipadas porque fere clausula PETREA! Esse assunto eh INCONSTITUCIONAL e nao pode jamais nem ser discutido em plenario! E esses psicopatas da midia falam como se fosse uma opcao “possivel” e NAO EH! Esta tudinho la na letra da lei como bem explicado por Reinaldo Azevedo aqui: http://veja.abril.com.br/blog/reinaldo/geral/lula-vai-a-renan-tentar-golpe-da-nova-eleicao-nova-falacia-golpista-plebiscito-e-tudo-inconstitucional/

    Curtir

Trackbacks

  1. O GOLPE DAS NOVAS ELEIÇÕES PARA MANTER O PT NO PODER – O Brasil é Nosso!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: