Dilma faz chantagem com truque de “novas eleições”

_________________________________dilma4.jpg.pagespeed.ce.0gK3xhg8At

Neste 09/06, vimos como Dilma foi precipitada, dando munição para Temer. Basta para ele aproveitar.

Para começo de conversa, desde que Ricardo Melo retornou a alguns dias à EBC – via liminar dada por Toffoli – atuou feito desesperado para colocar uma entrevista com a presidente afastada no ar. Com isso, deu argumentos para que Temer exponha o desvio de função de Melo e da própria EBC. É só aproveitar.

Mas o que surpreendeu mesmo foi a rapidez com que Dilma decidiu confessar o que todos nós sabíamos: que o truque das “novas eleições” sempre foi uma narrativa com o único fito de tentar salvar seu mandato. Ela gravou a entrevista no último domingo, à Luis Nassif. Alguns trechos, mencionados no UOL, comprovam essas intenções.

As palavras de Dilma chegaram ao bizarro. Segundo ela, haveria a necessidade de se convocar um plebiscito para a população decidir se quer ou não novas eleições presidenciais. Mas – eis a pegadinha – a consulta só deveria ser feita com ela de volta ao poder, e com o processo de impeachment sendo derrubado no Senado. Ou seja, a chantagem pura e simples. O diacho é que ela venceu as eleições de 2014 mentindo feito psicopata. Ninguém é idiota de acreditar honestamente nas palavras dela nesse momento.

Evidentemente, Dilma não disse e como e quando seria feita a consulta popular. A única coisa que ela sabe é que vai usar a narrativa de “novas eleições” como chantagem, do tipo: “Me coloquem de volta que eu faço a consulta popular”.

É claro que ela não faria consulta popular coisíssima nenhuma. E mesmo se fizesse, iria utilizar toda a máquina governista para sepultar a iniciativa. De novo: só idiotas acreditariam nessa conversa.

O que Dilma não percebeu é que ao confessar sua estratégia em público, transformou Marina Silva em seu papagaio. E, finalmente, a questão pode ser personalizada. Se o PT usou a narrativa (falsa) de que “o impeachment é do Cunha”, o fato é que “as novas eleições são da Dilma”. E tudo se baseia em pura chantagem. A partir de agora, é só utilizar os termos mais fortes possíveis e mandar a real na rotulagem sobre as cabeças de qualquer um que vier com papinho de “novas eleições”.

Curta-nos e siga-nos no Facebook para receber todas nossas atualizações!



Categorias:Uncategorized

2 respostas

  1. É ai que mora o perigo… Como que uma senhora com tantas provas de corrupção em seu governo e no governo passado do seu “GRANDE AMIGO” pode ficar insistindo nessa tecla? Na minha opinião ela não deveria nem ter autorização para falar nada, pois ela está afastada da presidência com grandes provas da sua culpabilidade e envolvimentos nos ROMBOS que deram em nosso país. Ela e o sr. Lula, continuam dando palpite como se presidente ainda fossem. Eles deveriam perder todos os direitos, pois estão sendo incriminados como os responsáveis de tanto roubo em nosso Brasil. A minha opinião é que nesse momento, as FORÇAS ARMADAS, deveriam assumir o país para que mais tarde, dois ou três anos aconteça uma nova eleição. Porque nesse momento uma nova eleição… É ISSO QUE A QUADRILHA ESTÁ QUERENDO QUE ACONTEÇA PARA QUE ELES ASSUMAM O PODER NOVAMENTE.

    Curtir

  2. Pela milesima vez: eleicoes antecipadas nao podem ser materia de PEC e muito menos de “plebiscito”. Essa ideia estapafúrdia alem de GOLPISTA e INCONSTITUCIONAL! O pt e seus CAPACHOS sempre se julgando acima das leis e da constituição! Isso eh mais um BLEFE IMUNDO do pt! Esse eh mais um trambique PTralha que Vai falhar! Nao passarão!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: