Inadimplência no ensino superior em 2015 teve pior resultado em cinco anos

3
2

fundaplub-financas-universitarios-668x313

No país em que os professores preferem lutar para continuarem doutrinando seus alunos (que são vítimas de estelionato educacional), ainda encontramos a terrível situação descrita abaixo pela Jovem Pan:

No ano de 2015, a taxa de inadimplência no ensino superior privado brasileiro atingiu o pior resultado desde 2010, chegando a 8,8% de atrasos com mais de 90 dias.Os dados são da pesquisa anual do Sindicato das Mantenedoras de Ensino Superior (Semesp). O diretor executivo do Semesp, Rodrigo Capelato explica que o desemprego aliado aos cortes do Fies justificam o crescimento das dívidas.

“Foi a crise economômica que gerou bastante desemprego entre os jovens, mas principalmente o Fies, que reduziu o número de contratos em 2015. E mais que isso, pegou os alunos de surpresa”, disse.

Se em 2014 foram assinados 732 mil novos contratos do FIES, no ano de 2015 esse número caiu para 287 mil.Desde 2010 a inadimplência não chegava a patamares tão elevados. Naquele período ela foi de 9,6%.

A queda no indicador entre os anos de 2011 e 2014 coincide justamente com a explosão no número de contratos do Fies. Ainda segundo o levantamento do Semesp, são as instituições de pequeno porte, com até dois mil alunos, que mais sofrem com a inadimplência.

E enquanto isso a “Pátria Educadora” se preocupa principalmente em aparelhar e doutrinar, além de submeter os alunos a abusos. Eis o retrato de um país que deu as costas para a educação.

Curta-nos e siga-nos no Facebook para receber todas nossas atualizações!

Para adquirir o livro “Liberdade ou Morte”, você pode consultar o site da Livraria Cultura ou da Saraiva.

Anúncios

3 COMMENTS

  1. Só que a doutrinação ocorre muito mais no ensino médio e nas faculdades públicas. Nas faculdades particulares ela é quase inexistente.

Deixe uma resposta